Conecte-se com

Gastronomia

Circuito Gastronômico de Favelas movimenta Belo Horizonte

Publicado

em

Entrada

“Pode ir armando o coreto.

E preparando aquele feijão preto.

Eu tô voltando.

Põe meia dúzia de Brahma pra gelar.

Muda a roupa de cama

Eu tô voltando”

Paulo César Pinheiro e Maurício Tapajós

Depois de uma edição de estreia em 2017, que movimentou o morro e o asfalto em torno de pratos e histórias inspiradores, o  está de volta.

As duas primeiras etapas aconteceram na Barragem Santa Lúcia e na Pedreira Prado Lopes, nos dias 3 e 10 de junho, respectivamente. Agora, o evento chega ao Alto Vera Cruz, bairro da região Leste de neste domingo17 de junhoem tarde que promete unir comida boasamba e futebolcom direito a um telão para que o público não perca um lance sequer da estreia da Seleção Brasileira na Copa do Mundo na Rússia, que será contra a Suíça.

Uma iniciativa que vai além de todos os eventos similares, pois coloca como protagonistas as cozinheiras e os cozinheiros de mãos cheias que vivem em dez comunidades de Belo Horizonte e da região metropolitana. Eles esbanjam receitas deliciosas, influências diversas e engajamento desde o modo sustentável do preparo até a generosidade do compartilhamento na hora de servir os pratos.

“São atores gastronômicos que sempre relacionaram comida com a sobrevivência, mas principalmente com o afeto. São pessoas que estão à frente dos sabores que marcam nossas vidas. Algumas possuem seus estabelecimentos e outras até atuam em restaurantes famosos, mas nunca foram protagonistas de suas criações. Quando pensei no Circuito, minha intenção era ressaltar essa identidade, promover o intercâmbio e, por meio de parcerias, oferecer ferramentas de empoderamento, como cursos de capacitação”, explica Danusa Carvalho, idealizadora do evento.

Sob a batuta da Casulo Cultura, o Circuito Gastronômico de Favelas fortalece diversos aspectos das cadeias produtivas das comunidades. A degustação dos aperitivos, lanches, pratos principais e sobremesas conecta os comensais com a cultura local, como arte produzida por moradores, seja ela artesanato ou música. O incentivo social vem de A Rebeldia, com o rapper Flávio Renegado atuando como um embaixador das quebradas tão ricas nas tradições e nos movimentos de renovação.

 

Prato Principal

Que é que você troxe na marmita, Dito?

Troxe ovo frito, troxe ovo frito

E você beleza, o que é que você troxe?

Arroz com feijão e um torresmo à milanesa,

Da minha Tereza!

Adoniran Barbosa e Carlinhos Vergueiro 

Para participar do Circuito Gastronômico de Favelas não há ingredientes obrigatórios. Todo o lucro sobre as vendas dos produtos vai para os atores gastronômicos. O entorno também é amplamente beneficiado (padarias, mercearias, sacolões e pequenos comércios locais). “O mais interessante dessa liberdade é que chegamos a um evento bastante espontâneo em todos os sentidos. Do primeiro ano para cá, percebemos como os participantes estão entusiasmados, com receitas inventivas, tanto na elaboração quanto nos nomes. Eu me sinto muito feliz em fazer parte desse momento porque são pessoas fortes, são sobreviventes”, explica Danusa.

Pó de quiabo para incrementar o frango nosso de todo dia ou do domingo; uma típica paella, só que mineira; o inusitado creme de dobradinha e, como não poderia faltar, uma comida para os orixás: Ajeum D´Xangô. Bolos de pote e delícias que vêm do legado das quitandas mineiras marcam presença no evento. Faça sua rota!

Alto Vera Cruz é onde o circuito foi gestado. A ocupação dos moradores começou em 1950 e foi intensificada na década de 60, com a chegada de trabalhadores da construção civil. Localizada na zona Leste da capital, a comunidade tem como uma das principais características a tradição na movimentação cultural local que passeia pelo Brasil e pelo mundo. Dia 17 de junho, o encontro está marcado por lá. Como será a estreia da Seleção Brasileira na Copa do Mundo, um telão será montado para ninguém perder os lances do jogo.

Local: Alto Vera Cruz – Rua Belém (esquina com Avenida dos Andradas).

Horário: 12h às 18h.

Linhas de ônibus: 9407 e 9101.

❖      Jânio – Tropeiro do Jânio (Alto Vera Cruz).

❖      Marlene Martins – Canjiquinha com Ora Pro Nobis (Alto Vera Cruz).

❖      Dona Dirce – Feijoada Senzala (Alto Vera Cruz).

❖      Monica da Silva – Creme de Dobradinha (Alto Vera Cruz).

❖      Cris e Marcio – Costelinha com Ora Pro Nobis e Angu (Alto Vera Cruz).

❖      Dalva – Matrifusia (Alto Vera Cruz).

❖      Adilson Cardoso – Fígado Acebolado (Serra).

❖      Maria Raquel – Flor de Jiló (Morro das Pedras).

❖      Vaninho – Costela No Bafo (Alto Vera Cruz).

❖      Wanusa – Pé no Rabo (Barragem Santa Lúcia).

❖      Dona Valdete – Macarrão Maravilha (Morro das Pedras).

❖      Bimbal – Paella Mineira (Pedreira Prado Lopes).

❖      Cristiane Oliveira – Torta Romeu e Julieta (Pedreira Prado Lopes).

❖      Diones da Silva – Pastel Trem de Minas (Barreiro).

❖      Dona Luci – Bolo no Pote (Serra).

Aglomerado da Serra é a maior concentração de favelas de Minas Gerais, localizado na região Centro-Sul de Belo Horizonte. Divide-se em oito vilas: Nossa Senhora da Conceição, Nossa Senhora de Fátima, Nossa Senhora Aparecida, Santana Cafezal, Novo São Lucas, Fazendinha, Chácara e Vila Marçola. Conta com uma série de artistas notáveis na música, em especial, samba e rap. No dia 24 de junho, domingo, o Circuito passa ali.

Local: Aglomerado da Serra – Rua da Passagem (esquina com Avenida Jeferson Silva).

Horário: 12h às 18h.

Linhas de ônibus: 7107 e 9106.

❖      Adilson Cardoso – Fígado Acebolado (Serra).

❖      Dona Luci – Bolo no Pote (Serra).

❖      Isaias Rodrigues – Peixe Frito (Serra).

❖      Dona Dulce – Hambúrguer Artesanal (Serra).

❖      Dona Dirce – Feijoada Senzala (Alto Vera Cruz).

❖      Cris e Márcio – Costelinha com Ora Pro Nobis e Angu (Alto Vera Cruz).

❖      Monica da Silva – Creme de Dobradinha (Alto Vera Cruz).

❖      Rafaella Galvão – Torresmo de Barriga (Pedreira Prado Lopes).

❖      Cozinha da Lora – Frango à Parmegiana (Barreiro).

❖      Dona Amélia – Frango com Pó de Quiabo (Barragem Santa Lúcia).

Morro das Pedras é localizado na regional Oeste de Belo Horizonte.  A ocupação começou nos anos 20, quando existiam várias fazendas em uma pedreira. Atualmente, é formada por sete vilas: Antena, Santa Sofia, São Jorge I, II, III, Leonina e Pantanal. Ali nasceu o Arautos do Gueto, em 1996, um dos nomes de maior expressão da periferia de Belo Horizonte. No dia 1 de julho, domingo, recebe os atores gastronômicos.

Local: Morro das Pedras. Rua Marco Antônio (em frente ao número 250, ao lado do campo de futebol cascalho).

Horário: 12h às 18h.

Linhas de ônibus 2150 e 9106.

❖      Dona Ita – Bolinho de Feijoada (Morro das Pedras).

❖      Dona Valdete – Macarrão Maravilha (Morro das Pedras).

❖      Maria Raquel – Flor de Jiló (Morro das Pedras).

❖      Dona Dirce – Feijoada Senzala (Alto Vera Cruz).

❖      Isaias Rodrigues – Peixe Frito (Serra).

❖      Lia – Língua recheada com Arroz do Campo e Banana Chips (Barragem Santa Lúcia).

❖      Cris e Marcio – Costelinha com Ora Pro Nobis e Angu (Alto Vera Cruz).

❖      Vaninho – Costela No Bafo (Alto Vera Cruz).

❖      Cristiane Oliveira – Torta Romeu e Julieta (Pedreira Prado Lopes).

Jardim Teresópolis é localizado em Betim. O espaço começou a ser povoado na década de 60, com a instalação da fábrica da FIAT em 1976. Na ocasião houve uma verdadeira explosão habitacional. Ele é dividido em 8 bairros: Vila Recreio, Vila Bemge, Amazonas, Alvorada, Riacho 3, Boa Esperança, Chácara Santo Antônio e Arvoredos. Pelo envolvimento com o projeto Árvore da Vida, os moradores possuem além de habilidades para o artesanato, um grande envolvimento com sustentabilidade. No dia 8 de julho, domingo, é dia de esbaldar por lá.

Local: Jardim Teresópolis – Praça da Rua das Flores.

Horário: 12h às 18h.

Linha de ônibus: 7480

❖      Vera Lucia – Bolinho de Feijão e Bolinho de Mandioca (Jardim Teresópolis).

❖      Diones da Silva – Pastel Trem de Minas (Barreiro).

❖      Dona Ester – Linguiça artesanal de Lombo com Manteiga de Garrafa (Jardim Teresópolis).

❖      Dulcineide – Frango Atropelado (Barreiro).

❖      Marlene Martins – Canjiquinha com Ora Pro Nobis (Alto Vera Cruz).

❖      Cozinha da Lora – Frango a Parmegiana (Barreiro).

❖      Dona Luci- Bolo no Pote (Serra).

Vila Acaba Mundo é uma das comunidades mais antigas de Belo Horizonte, localizada na zona Sul, entre os bairros do Sion, Mangabeiras e Belvedere. Sua ocupação ocorreu em meados das décadas de 40 e 50 com as atividades da Mineradora Lagoa Seca. O Projeto Querubins, tradicional na formação artística de jovens, nasceu no Acaba Mundo. Dia 15 de julho, domingo, tem gostosuras por lá, além da transmissão da final da Copa.

Local: Vila Acaba Mundo – Praça Carioca (atrás da Praça JK).  

Horário: 12h às 18h.

Linhas de ônibus: 2101, 9106 e 2150.

❖      Dona Conceição – Xinxim de Galinha ao Ninho (Barreiro).

❖      Wanusa – Pé no Rabo (Barragem Santa Lúcia).

❖      Adilson Cardoso – Fígado Acebolado (Serra).

❖      Maria Raquel – Flor de Jiló (Morro das Pedras).

❖      Dulcineide – Frango Atropelado (Barreiro).

❖      Isaias Rodrigues – Peixe Frito (Serra).

❖      Rafaella Galvão – Torresmo de Barriga (Pedreira Prado Lopes).

❖      Dalva – Matrifusia (Alto Vera Cruz).

❖      Cristiane Alves – Quibe Vegano de Abóbora (Pedreira Prado Lopes).

❖      Bimbal – Paella Mineira (Pedreira Prado Lopes).

❖      Vaninho – Costela No Bafo (Alto Vera Cruz).

❖      Dona Luci – Bolo no Pote (Serra).

Vila Dias é uma comunidade dentro do bairro Santa Tereza, região Leste de Belo Horizonte, uma das mais ricas em arte e cultura. Entra no Circuito dia 22 de julho, domingo. A referência para curtir o evento é a linha do trem.

Local: Santa Tereza – Rua Conselheiro Rocha, 3000.

Horário: 12h às 18h.

Linhas de ônibus: 9210, 8108 e 9205.

❖      Dona Dirce – Feijoada Senzala (Alto Vera Cruz).

❖      Dona Dulce – Hambúrguer Artesanal (Serra).

❖      Maria Raquel – Flor de Jiló (Morro das Pedras).

❖      Felipe Mafaldo – Ajeum D´xango (Pedreira Prado Lopes).

❖      Diones da Silva – Pastel Trem de Minas (Barreiro).

❖      Lia – Língua recheada com Arroz do Campo e Banana Chips (Barragem Santa Lúcia).

❖      Cristiane Alves – Quibe Vegano de Abóbora (Pedreira Prado Lopes).

❖      Dona Valdete – Macarrão Maravilha (Morro das Pedras).

❖      Dona Amélia – Frango com Pó de Quiabo (Barragem Santa Lúcia).

❖      Cristiane Oliveira – Torta Romeu e Julieta (Pedreira Prado Lopes).

Barreiro é mais antigo que Belo Horizonte. Localizado na região industrial, é bastante movimentada e possui áreas periféricas e ocupações, como a Vila Cemig. Outros bairros, mais afastados das primeiras fábricas da região, cresceram em função de pequenas indústrias locais. A ocupação artística se dá na região especialmente famosa pelo grafite. Recebe o evento domingo, dia 29 de julho.

Local: Barreiro – Viaduto das Artes (Avenida Olinto Meireles, 45).

Horário: 12h às 18h.

Linhas de ônibus: 30, 3055 e 3029.

❖      Diones da Silva – Pastel Trem de Minas (Barreiro).

❖      Dona Conceição – Xinxim de Galinha ao Ninho (Barreiro).

❖      Dulcineide – Frango Atropelado (Barreiro).

❖      Cozinha da Lora – Frango à Parmegiana (Barreiro).

❖      Dona Ita – Bolinho de Feijoada (Morro das Pedras).

❖      Vera Lucia – Bolinho de Feijão e Bolinho de Mandioca (Jardim Teresópolis).

❖      Dalva – Matrifusia (Alto Vera Cruz).

❖      Wanusa – Pé no Rabo (Barragem Santa Lúcia).

❖      Dona Dulce – Hambúrguer Artesanal (Serra).

❖      Dona Lúci – Bolo no Pote (Serra). 

Sobremesa

Jujuba, bananada, pipoca,

Cocada, queijadinha, sorvete,

Chiclete, sundae de chocolate,

Paçoca, mariola, quindim,

Frumelo, doce de abóbora com coco,

Bala juquinha, algodão doce e manjar

Marisa Monte 

O Circuito Gastronômico de Favelas é comida boa, é a qualificação de atores gastronômicos, é o aquecimento da economia, é a criação de uma rede afetiva e solidária. Não poderia deixar de ser a vitrine da cultura dos morros, favelas e vilas de uma cidade e seu entorno tão pulsantes.

Todas atividades contam com uma animada roda de samba comandada pelo Samba de Vera, cuja formação homenageia o Alto Vera Cruz, uma das comunidades mais pulsantes da capital mineira, e de onde surgiram Flávio Renegado, as Meninas de Sinhá e o próprio Circuito. Flávio Renegado, que já cravou seu nome como um dos principais artistas, compositores e ativistas do rap nacional estará ao lado da compositora e intérprete Manu Dias. Ela é um expoente do samba no Estado e seu talento vem sendo reconhecido pelo público e pela mídia. Djs, Vjs, Mcs e grafiteiros, amigos e moradores de cada uma das comunidades vão interagir com os integrantes da banda, que mescla artistas do morro e do asfalto. Serão rodas para lá de animadas.

Nos dias 11 e 12 de agosto, sábado e domingo, a Rua Sapucaí, na Floresta, será o palco do encerramento do Circuito Gastronômico de Favelas, que vai receber, em grande estilo, os 25 cozinheiros e cozinheiras numa festa cheia de cores, aromas e sons. Trata-se de uma grande confraternização, com uma infraestrutura completa para participantes e público. Haverá tudo que temos de melhor: comida, cultura, hospitalidade, ritmo, poesia e uma vista de cartão postal. A ideia não é competir, mas agregar. Não perca!

Lei de Incentivo à Cultura

 

PATROCÍNIO

Brahma Extra | Cemig | + Cultura | Governo de Minas

 

FOMENTO

Servas | + | Mineiraria | Codemg |  Governo de Minas

 

PROMOÇÃO

Rádio Inconfidência | Soubh

 

PRODUÇÃO

Full Produções

 

INCENTIVO SOCIAL

Associação Arebeldia Cultural

 

REALIZAÇÃO

Casulo Cultura

 

INCENTIVO

+ Cultura e Governo de Minas Gerais

 

Curta as nossas páginas e fique por dentro de tudo que acontece no Circuito.

 

www.circuitogastronomicodefavelas.com

facebook.com/rangonafavela

instagram.com/circuitogastronomicodefavelas

 

 

#RangoNaFavela

#CircuitoGastronomicoDeFavelas

#VemProCircuito

#SambaDaVera

 

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gastronomia

Amazônia Soul se Destaca por Riqueza de Sabores da Culinária Nortista

Publicado

em

Por

O restaurante Amazônia Soul, conta com um cardápio variado com o melhor da culinária amazônica, em ambiente aconchegante e diferenciado no coração da Vila Mariana.

A casa que foi fundada em 2018 têm em seu cardápio as principais comidas amazônicas como os tradicionais: Pato no Tucupi, Maniçoba, Tacacá, os peixes:  Filhote, Dourada, Pirarucu e Tambaqui e ainda oferece uma opção de prato vegano, afim de atingir todos os públicos.

Para complementar essa experiência de imersão, a casa só reproduz música ambiente regional e conta com diversas obras de artes oriundas da região amazônica, são objetos e pinturas indígenas, todas trazidas do norte e podem ser adquiridas no restaurante.

O idealizador do Amazônia Soul São Paulo é o Paraense pedro Amaral, que faz questão de garantir os melhores produtos para seu restaurante. A casa também é conhecida por oferecer o melhor açaí do mundo, totalmente puro e orgânico, proveniente da produção familiar de Pedro, que recebe o produto dos açaizais às margens do rio Arauaya no Pará.

 

 

Para saber mais sobre o restaurante visite sua página no instagram: 

View this post on Instagram

Dias de sol☀️, calor 🌡️e nada de chuva🚫⛈️! . Combinação perfeita para o melhor açaí do mundo 🌎 . Tá com fome e não quer sair de casa? Não esquece que temos delivery em um raio de 4,5 km a partir da loja. É só procurar a Amazônia Soul no Ifood (@ifoodbrasil), James Delivery (@jamesdelivery) e no Uber Eats (@ubereats_br) 😉 . 🌳Amazônia Soul – São Paulo 📍Rua Áurea, 361 – Vila Mariana 📞(11) 5083-4046 . . . . #amazoniasoulsp #culturadafloresta #vilamariana #ruaaurea #splovers #ondecomer #ondebeberemsaopaulo #ondecomeremsaopaulo #ondecomeremsp #ondebeberemsp #sampafood #culinariaamazonica #eat #foodpic #dinner #foodpics  #foodphotography #foodlover #tasty #dessert #healthyfood #foodies #eating #comida #delicia #restaurante #gastronomia #delicioso #gourmet #fome

A post shared by Amazônia Soul – São Paulo (@amazoniasoulsp) on

Confira o Menu completo: http://amazoniasoulsp.com.br/menu/

 

Informações e reservas

  • Funcionamento:

De terça a sábado das 12h às 22h

Domingo das 12h às 20h

  • Telefone: (11) 5083-4046
  • E-mail: contato@amazoniasoulsp.com.br
  • Endereço: Rua Áurea, 361 – São Paulo – Vila Mariana
  • Site: http://amazoniasoulsp.com.br/

 

Fonte: EgoBrazil

Continue Lendo

Gastronomia

Spani Aquarius e Vista Verde oferecem curso gratuito de culinária

Publicado

em

Parceria com a marca Fantástico disponibiliza receitas criativas com arroz e feijão

São José dos Campos, agosto, 2019 – As lojas Spani Atacadista do Jardim Aquarius e Vista Verde, em parceria com a marca Fantástico, promovem nos dias 21 e 22 de agosto o curso “Delícias com arroz e feijão Fantástico”.

Durante a aula, a culinarista Claudete Brescancini, irá ensinar aos participantes criativas maneiras de preparo da dupla que não pode faltar na mesa do brasileiro, o arroz com feijão. Na ocasião, os alunos aprenderão as receitas: Risoto 4 queijos, Caldo Delícia de Feijão, Arancini com Presunto e Bolo de Arroz e Ameixas.

Os interessados podem fazer sua inscrição no balcão de atendimento das lojas com um quilo de alimento não perecível para doação. As arrecadações serão encaminhadas às entidades beneficentes das cidades participantes.

 

Serviço:

Spani São José dos Campos – Aquarius – 21/08, às 15h.

Endereço: Avenida Cassiano Ricardo, nº 1051, Jardim Alvorada.

Telefone: (12) 3500-0600

Spani São José dos Campos – Vista Verde – 22/08, às 15h.

Endereço: Avenida Pedro Friggi, nº 1031, Vista Verde.

Telefone: (12) 3906-2000

Continue Lendo

Gastronomia

Conheça o surpreendente Sabor da Parrilla, capaz de agradar diferentes paladares

Publicado

em

Sistema criado por argentinos e uruguaios, deixa as carnes mais suculentas e legumes e frutas, mais saborosos

O churrasco é uma das paixões dos brasileiros. Mas a Parrilla, típica dos pampas e utilizada no preparo de grelhados tanto no Uruguai quanto na Argentina, tem conquistado um número cada vez maior de consumidores e amantes da boa . A Parrilla usa grelhas móveis no lugar dos espetos. É construída com canaletas, normalmente em formato de V, levemente inclinadas e conta com um receptor de gorduras. Na Parrilla é possível assar carnes, legumes e frutas, garantindo o sabor e as principais características de cada alimento.

Frederico Curi, empresário e um dos sócios do Restaurante Soriano, explica a diferença entre a tradicional churrasqueira e a Parrilla. “O importante é destacar que a Parrilla não é uma churrasqueira. Enquanto a churrasqueira cozinha e assa o alimento, a Parrilla consegue grelhar sem deixar que cozinhe por dentro. Isto é garantia de suculência”

O formato também é uma da característica que diferencia os dois equipamentos e que interfere no sabor os pratos, conforme afirma Curi. “A churrasqueira tem o formato de caixa, onde colocamos carvão ao fundo. Nela, utilizamos espetos ou uma grelha reta com furos circulares. Já a Parrilla é levemente inclinada, o que permite que a brasa fique a poucos centímetros do alimento.

Curi esclarece ainda que há diferença também no material de combustão utilizado para aquecer o alimento. “Na churrasqueira é utilizado o carvão. Na Parrilla, o ideal é usar a lenha, que vai se transformando em brasa à medida em que vai queimando. Isso permite defumar o prato enquanto ele é grelhado, o que proporciona um sabor diferenciado aos assados”

Na Parrilla podem ser assadas carnes e legumes de todos os tipos e até mesmo frutas, ressalta Frederico Curi. “Como a gordura não pinga na brasa, não existem labaredas de fogo. Dessa forma, é possível obter o máximo aproveitamento do calor. Como resultado, as carnes ficam mais suculentas e os legumes, mais saborosos”.

A Parrilla no Restaurante Soriano

Um dos diferenciais do Restaurante Soriano é proporcionar aos clientes verdadeiras experiências gastronômicas, que podem ser percebidas desde a forma de preparo dos pratos e até o uso da Parrilla para assar os alimentos. “Utilizamos na nossa Parrilla a grelha Argentina, composta de pequenas calhas inclinadas que não deixam a gordura cair na brasa, e a grelha uruguaia, que tem de barras de ferro paralelas ideais para grelhar legumes”.

Alguns dos pratos do menu do Soriano, preparados na Parrilla, tornaram-se preferidos dos clientes. “O Chorizo acompanhado de abóbora ao creme de queijo (camembert) e rúcula, a Picanha acompanhada de papas rústicas ao molho especial e o Assado de tiras com parrillada de legumes, estão entre os mais pedidos”, aponta Frederico Curi.

Para o empresário, a preparação na Parrilla é determinante, pois “o calor da brasa, permite que a carne asse mais rapidamente sem perder a suculência. Já os legumes assados têm a textura, os sabores e os nutrientes preservados, além do aroma de fumaça que dá o toque especial de defumado aos pratos, que os clientes tanto gostam. 

Restaurante Soriano

Investimento dos sócios Wagner Salomão e Frederico Curi, o Restaurante Soriano funciona durante toda a semana, para almoço e jantar. O menu da casa inclui interpretações modernas de pratos da região dos pampas, conduzindo o visitante à uma viagem pelos sabores do sul do Brasil, do Uruguai e da Argentina.

O Soriano oferece experiências de menu para almoço, com prato executivo durante a semana (a partir de R$ 21,90), e jantar, com pratos especiais para crianças, além de opções distribuídas em petiscos, carnes, peixes, saladas, sanduíches e sobremesas. O restaurante tem capacidade para acomodar até 120 pessoas e conta ainda com duas cozinhas show, ideais para cursos ou eventos exclusivos.

 

Restaurante Soriano

Endereço: Rua Tomé de Souza, 133, Funcionários

Horários de Funcionamento:

o    Segunda-feira, das 11h30 às 15h

o    Terça a quinta-feira, das 11h30 às 15h e das 18h às 23h30

o    Sexta-feira, das 11h30 às 15h e das 18h às 0h

o    Sábado, das 11h30 às 0h

o    Domingo, das 11h30 às 17h30

Telefone: (31) 2516-5112

Instagram: @sorianobh / Facebook: @sorianobh

Continue Lendo
Publicidade

Facebook

Eventos

Publicidade

Destaque

Pular para a barra de ferramentas