Conecte-se com

Estilo de Vida

Entenda como ocorre a queda capilar pós-parto e saiba como se prevenir

Publicado

em

Aumento dos hormônios femininos na gestação melhora a qualidade do cabelo, mas no pós-parto acontece uma queda acentuada desses hormônios, que pode favorecer a

São Paulo – 19/03/2019 – Durante a gestação, muitas mulheres experimentam uma fase de intensas transformações e algumas delas são sentidas nos cabelos, que ficam extremamente brilhantes, densos, proteicos e com crescimento acima da média. “Isso ocorre durante a gestação por conta do estímulo dos hormônios femininos nos cabelos, que ficam em fase anágena, de crescimento. Então toda gestante, a não ser aquelas com deficiência de ferro, anemia ferropriva, deficiência de ácido fólico ou ainda de vitamina D, tem uma qualidade capilar de excelência assim como um crescimento ungueal que acompanha a questão capilar”, afirma a dermatologista , membro da Sociedade Brasileira de e da Academia Americana de . No entanto, no período de pós-parto há uma grande preocupação com a queda dos fios.

De acordo com a médica, enquanto na gestação o aumento dos hormônios femininos provoca uma vasodilatação para o bulbo capilar trazendo mais oxigênio e nutrientes, mantendo os fios na fase de crescimento por longo período, privilegiando o crescimento, o aspecto saudável e a beleza dos fios; no pós-parto acontece uma diminuição acentuada dos hormônios femininos como o estradiol e a progesterona, que durante a gestação mantém os fios fortes, brilhantes e com crescimento acelerado e protegidos da ação dos andróginos.

Este quadro pode começar principalmente nos primeiros quatro a seis meses, pode ocorrer o eflúvio telógeno pós-gestacional, com queda intensa dos fios. “Há uma baixa dos hormônios femininos no pós-parto e no pós-cesárea pelo próprio estresse do período pós-cirúrgico e muitas vezes com casos em que a paciente não dorme o suficiente e não se alimenta como deveria, além da questão da amamentação, o quadro de estresse físico e emocional com alteração hormonal pode levar à queda capilar”, afirma a dermatologista. “Então o que eu recomendo no último trimestre é a introdução de vitaminas para melhorar a performance capilar, melhorando a característica de nutrição e introduzo silício orgânico Exsynutriment no último trimestre para que a gente previna a questão da queda capilar ou a miniaturização dos fios do cabelo, com a perda da densidade e ancoragem dos fios em relação ao couro”, afirma.

Segundo a Dra. Claudia, essa é uma característica importante a ser pensada, observada e prevenida. “Se isso não for feito e o quadro ocorre, nós devemos entrar imediatamente com altas dosagens de vitaminas, checar os níveis férricos e as questões relacionadas aos hormônios femininos e a tireoide, as vitaminas como D, zinco e o ácido fólico; e fazer o uso de substâncias específicas se elas tiverem carência ou a reposição de um aporte nutricional que seja específico para a parte capilar.”

Com relação à suplementação nutricional para o cabelo já no terceiro trimestre, a médica explica que essas vitaminas são ricas em Exsynutriment, Bio-Arct, biotina, cistina, ornitina, colágeno peptídeo, taurina, arginina, metionina e reposição de ferro e zinco além de ácido fólico. Além disso, alguns cuidados tópicos podem ser colocados em prática, como a utilização de xampus ricos em bio-restore, aloe vera, reparage, capixyl e capilisil e uso de fatores de crescimento como o cobre peptídeo o fibroblasto ácido. “E, no consultório, após o nascimento, pode ser usada a plataforma de microagulhamento de ouro ou laser fracionado não ablativo como o erbium glass 1565 associado a drug delivery e utilização de led com luz infrared, que são tratamentos de escolha com excelentes resultados para o crescimento capilar”, finaliza a médica.

Fonte: DRA. CLAUDIA MARÇAL – É médica dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), da American Academy Of Dermatology (AAD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD). É speaker Internacional da Lumenis, maior fabricante de equipamentos médicos a laser do mundo; e palestrante da Dermatologic Aesthetic Surgery International League (DASIL). Possui especialização pela AMB e Continuing Medical Education na Harvard Medical School. É proprietária do Espaço Cariz, em Campinas – SP.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Especialista aponta 8 hábitos para aumentar a sua imunidade

Publicado

em

Imunidade é a capacidade do organismo de se defender de vírus, bactérias e fungos que possam causar doenças e prejudicar o pleno funcionamento do corpo humano. Quando algo vai mal e a imunidade está baixa, ficamos muito mais suscetíveis a doenças, infecções e agentes patológicos. No entanto, a resposta para fortalecer as defesas naturais do organismo pode estar antes mesmo de recorrer a medicamentos, mas na adoção de hábitos saudáveis.

O nutricionista e especialista em medicina ortomolecular, o Dr. Leone Gonçalves aponta que ajustes na rotina podem fazer toda a diferença para aumentar a imunidade: “certos hábitos quando adotados tem o poder de melhorar a nossa imunidade. Melhorar a alimentação, qualidade do sono e outros hábitos são alguns pilares que podem aumentar a imunidade”, comenta.

O Dr. Leone cita oito hábitos que tem o potencial de ajudar o corpo a aumentar a imunidade. Confira:

Beba água

A ingestão de água melhora a resistência física e retira as impurezas do organismo, prevenindo doenças. Buscar uma melhor ingestão de água é muito importante para ajudar o corpo a fortalecer as defesas naturais.

Perdemos líquidos com o calor, o esforço físico e o movimento. Logo ao fazer exercícios físicos, hidrate-se com água de coco ou água pura, mas sem exagerar.

Mantenha uma alimentação saudável

Manter uma dieta que inclui todos os grupos alimentares é fundamental para fortalecer a imunidade. Proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas e sais minerais não podem faltar na dieta diária.

Os micronutrientes essenciais para o fortalecimento da imunidade são as vitaminas A, B6, B12, C, D, E, ácido fólico, zinco, ferro, selênio e cobre, que ajudam o corpo a aumentar a proteção contra infecções e aumentam a produção de anticorpos.

Aumente a ingestão de alimentos ricos em fibras e elimine ao máximo produtos industrializados da sua dieta. Aumente a ingestão de vitamina C pois ela também fortalece as defesas do organismo.

Evite vícios, bebedeiras e consumo de cigarro

O consumo exagerado de álcool e tabaco diminuem a imunidade. Esses vícios são extremamente danosos não só para o nosso sistema imunológico mas para vários outros sistemas de nosso corpo”.

Já existem estudos que comprovam que algumas bebidas podem, inclusive, fazer bem à saúde, mas desde que ingeridas com moderação. O vinho é o principal exemplo. Mas, importante reforçar que todo excesso é prejudicial e a bebida alcoólica não foge dessa regra.

Faça exercícios

Segundo estudos, o sedentarismo está associado a 28% das mortes por doenças crônicas, perdendo apenas para o tabagismo. A prática de uma atividade física de média intensidade pode ajudar e muito a fortalecer o sistema imunológico. Já exagerar nos exercícios de alta intensidade podem diminuir a imunidade.

Tente relaxar um pouco

Assim como a baixa autoestima, o estresse impede o sistema imunológico de funcionar a todo vapor, abrindo portas para doenças.
Quando você está estressado, o ideal é praticar alguma atividade que goste e que te faça bem. “Se forem exercícios físicos, melhor, pois são duas vantagens em uma”.

Cuide da sua higiene

Hábitos como lavar as mãos antes de manusear alimentos, de levá-las a boca e aos olhos e sempre depois de dirigir ou usar o transporte público devem sempre ser levados em conta. Estamos expostos 24h por dia a bactérias, por isso a higiene é importante. Ao chegar em casa, tomar um banho é bom para não manter todos os germes da rua no seu corpo e na sua cama.

Esteja sempre em dia com a vacinação

Tomar todas as vacinas deixa você protegido de doenças graves como hepatite B, varicela, hepatite A, BCG, sarampo, rubéola e caxumba.

Durma bem

Pessoas que não tem um sono adequado, com cerca de 6 a 7 horas por noite, podem ter seu sistema imunológico afetado. A privação do sono diminui a quantidade e a função das células responsáveis pela imunidade.

As consequências disso são maiores chances de contrair doenças infecciosas e a diminuição do efeito de vacinas. Diabetes e câncer também podem aparecer com mais facilidade em indivíduos que dormem pouco.

Continue Lendo

Estilo de Vida

Como se divertir durante a estação do inverno

Publicado

em

Por

O inverno vem chegando na próxima sexta-feira, dia 21 de junho, e junto aquele friozinho odiado por uns e amado por outros. O calor carioca realmente deixa saudades, mas assim como em todas as estações do ano, essa mais geladinha também tem o seu lado bom, é só saber aproveitá-la!

Como conforto sempre vem em primeiro lugar e o tempo também pode não colaborar direito, tomar alguns banhos quentes pode além de aliviar aquela luta entre a temperatura da água e do ambiente, poderá proporcionar nesse caso, momentos de alívio e delicadeza, fazendo até com que você nem queira mais sair de lá, e obviamente, melhorando em mil vezes a sua satisfação com seu banho diário.

Se você é um daqueles que não consegue dormir sem seu edredom, roupas finas e de mangas compridas, além de um moletom, podem trazer um pouco mais de conforto para uma noite tranquila. A Netflix, uma das principais plataformas de streaming do mundo, também oferece programação adequada a todos os momentos. Alguns sucessos da época são “A Proposta” com Sandra Bullock, “De Repente 30” com Jennifer Garner, “Meia Noite em Paris”, além do sucesso de bilheteria “A Culpa é das Estrelas”, baseado no best saller de John Green. Séries famosas como “Isatiable”, “La Casa de Papel”, “Grey´s Anatomy” e “Lucifer” já estão com novas temporadas confirmadas para a época.

Vale lembrar que o inverno também é uma época de férias, e opções como viagem, amizades, esportes e ar livre, são maneiras bem-vindas para se divertir.

Prazeres Culinários:

As opções na cozinha são o que não falta, tem comodidade e divertimento para todos os gostos. Para os amantes da culinária, a fondue, derivado da gastronomia suíça, servido com palitinhos nas noites frias possui diversas possibilidades e combinações de sabores, podendo vim desde um pãozinho com queijo derretido até mesmo uma frutinha mergulhada chocolate (branco ou preto). Essa opção além de ter um grande público consumidor, ainda pode criar um clima para curtir uma noite a dois com seu par, transformando o frio em algo mais prazeroso.

Para quem prefere o tradicionalismo, as sopas e caldos também não são de ser esquecidos. São muitas as suas opções de escolhas, desde lentilhas, passando por abóbora, batata, ia-me, até as canjiquinhas, típicas de festas juninas. De acordo com uma matéria do site “Vix”, existem sopas como a de legumes com quinoa, batata doce, cebola e o caldo verde, que além de serem uma ótima apreciação, podem fazer muito bem a sua saúde. Se esquente e faça bem ao seu organismo em uma só tocada.

Os mais refinados ou até mesmo os que querem passar um momento juntos em família ou com amigos, os vinhos quentes podem ser uma pedida, tanto que nos supermercados e adegas, podemos encontrar tanto os caros como os mais baratos para sua degustação, além de que já foi comprovado que a bebida pode trazer benefícios ao coração, menor risco de contração de diabetes e ainda a depressão. Não é à toa que a bebida é tão requisitada.

Fotos: Pixabay

Continue Lendo

Saúde

Especialista revela que estresse e saúde bucal estão conectados

Publicado

em

Viver nos dias de hoje totalmente longe do estresse é algo difícil para a maioria, que vive em grandes centros urbanos, e encontra o ambiente cheio de fatores desgastantes como o trânsito, poluição, violência, correria, prazos e tantos outros. No entanto, não apenas o nosso estilo de vida, o psicológico e o emocional podem ser afetados, mas também todo o corpo e até mesmo a saúde bucal.

O Dr. Robson André é um dos principais especialistas em odontologia e explica como o estresse pode afetar a saúde bucal: “desequilíbrios psicológicos podem afetar a cavidade bucal, como também outras partes do corpo humano. Se uma pessoa passa por estresse constante, o corpo dela estará liberando determinados hormônios responsáveis pela regulação do sistema imunológico que podem afetar o funcionamento desse sistema, tornando o organismo mais sensível às chamadas doenças infecciosas, além do significativo aumento da percepção da dor e sofrimento. Quando esses efeitos se juntam com uma má higiene bucal o paciente fica mais suscetível a desenvolver diversos quadros de patologias orais”.

O especialista associa diretamente diversos distúrbios de saúde bucal a questão do estresse: “na rotina clínica facilmente associamos quadros de dor a eventos traumáticos e/ou de alto estresse. Qualquer que seja o motivo, se ele está ligado à saúde emocional de uma pessoa, com certeza o desequilíbrio desta saúde pode afetar a saúde bucal. Doenças periodontais, disfunção temporo-mandibular (podendo desencadear enxaquecas, cefaléia e desgastes dentais), halitose, aftas, cáries e vários outros incômodos podem estar diretamente ligados à distúrbios psicológicos”.

Com o foco da medicina preventiva, o Dr. Robson André dá dicas de como prevenir que o estresse impacte a saúde bucal: “é importante focar em ter boas noites de sono, dedicar-se a uma alimentação saudável e prática de atividade física, se permitir ter momentos de prazer e sabedoria (seja com a família, amigos, um terapeuta, um hobby), sem se esquecer de uma adequada higiene oral e consultas frequentes ao dentista. Não negligencie a saúde de qualquer parte do corpo, seja a saúde bucal, a mental e a corporal. Quanto mais você conseguir cuidar de si mesmo em todos estes aspectos, mais irá sorrir pra vida”.

Continue Lendo
Publicidade

Facebook

Publicidade

Eventos

Publicidade

Destaque

Pular para a barra de ferramentas