Conecte-se com

Livros

Papa Francisco nada fez para eliminar os abusos de menores por parte do clero

Publicado

em

Os jornalistas e Roberto Beretta investigam 80 mentiras sobre o .

“O antídoto mais radical ao vírus da falsidade é deixar-se purificar pela verdade”. Papa Francisco.

É Bergoglio o primeiro papa a ser criticado? Em Fake Pope – as falsas notícias sobre o Papa Francisco, lançado pela PAULUS Editora, os autores Nello Scavo e Roberto Beretta afirmam que não! Eles explicam que a figura do Papa é há séculos alvo de mentiras. Houve na história pontífices atingidos por fortíssimas acusações.

No entanto, em tempos de amplo debate social pela opinião pública – sobretudo no âmbito digital – as  se tornaram armas poderosíssimas. Na obra, os autores – reconhecidos por cobrir a vida eclesiástica –, apontam algumas falsas notícias, abordam a necessidade de ser discutido o tema e alertam sobre a importância da busca e da averiguação dos fatos.

Nello e Roberto destacam que, contra o Papa Francisco circulam acusações completamente inventadas e que é preciso combater essas falácias, pois as consequências podem comprometer o trabalho de anos, como o da Igreja. “Um tiro de canhão de mentiras ou semi-verdades manipuladas com arte, tem o poder de devastar o trabalho de anos, de injetar uma desconfiança demolidora onde – e é com frequência o caso da Igreja – o resultado final depende dos delicados equilíbrios e da paciência nas relações humanas”, dizem.

Em maio de 2018, o Papa Francisco encaminhou uma mensagem para o 52º Dia Mundial das Comunicações Sociais, com o tema: “A verdade vos tornará livres (Jo 8,32). Fake News e jornalismo de paz”. Neste documento, o pontífice demonstra preocupação e alerta sobre as intenções que podem estar por trás das falsas notícias. “As próprias motivações econômicas e oportunistas da desinformação têm a sua raiz na sede de poder, ter e gozar, que, em última instância, nos torna vítimas de um embuste muito mais trágico do que cada uma das suas manifestações: o embuste do mal”, alerta Papa Francisco.

Para os autores de Fake Pope, não é possível construir nenhuma comunidade humana, muito menos fraterna, onde dominam a suspeita e a desconfiança. A obra, dividida em cinco partes, pretende mostrar que é preciso distinguir para não confundir, é preciso ter discernimento e acima de tudo educar para uma contínua busca à averiguação. “É o discernimento – outro termo muito frequentemente usado pelo Papa Francisco, e de resto típico do patrimônio jesuíta – a receita proposta por Bergoglio contra o pensamento único ou desviado, e seu primeiro ingrediente é a consciência da pessoa. Bem indagada e submetida a averiguações quanto quisermos, porém, responsabilidade sempre pessoal”, concluem Nello Scavo e Roberto Beretta.

Nesta mesma perspectiva, o diretor da Faculdade PAULUS de Comunicação (FAPCOM), Pe. Iraildo Alves de Brito cita o fundador da congregação dos Padres e Irmãos Paulinos, o Bem-Aventurado Tiago Alberione, ao falar sobre a verdade e superficialidade. “Alberione dizia que, a caridade da verdade é a caridade mais sublime. A caridade da verdade, entre outros aspectos, diz respeito à capacidade de não se conformar com as superficialidades. Seja qual for a matéria, o assunto, o problema, faz-se necessário o interesse de aprofundamento para não se deixar enganar, nem se manipular”, enfatiza Padre Iraildo.

Publicidade:Ficha Técnica

Título:  Fake Pope – As falsas notícias sobre o Papa Francisco

Autora: Nello Scavo e Roberto Beretta

Acabamento: Brochura

Formato: 13.0 (larg) x 21 (alt)

Páginas: 272

Área de interesse: Comunicação

 

Nello Scavo é do Avvenire, repórter internacional e cronista judicial. Ao longo dos anos investigou o crime organizado e o terrorismo global, cobrindo muitas áreas “efervescentes” do mundo, como a ex-Iugoslávia, o sudeste asiático, os países da URSS, a América Latina, o Oriente Médio e o Corno da África. Em 2013 partiu para Buenos Aires em busca da verdade sobre a suposta conivência do papa Francisco com as ditaduras sul-americanas, para depois escrever “I sommersi e i salvati di Bergoglio”. Também é autor de “La lista di Bergoglio”, traduzido em mais de 15 idiomas, “I nemici di Francesco”, lançado em 2015 e “Perseguitati”, de 2017.

Roberto Beretta é jornalista e ensaísta. Escreveu mais de vinte sobre temas históricos e religiosos, muitos dos quais tidos como “incômodos”, entre eles “Il lungo autunno: controstoria del Sessantotto cattolico”; “Storia dei preti uccisi dai partigiani”, “Le bugie della Chiesa”; “Da che pulpito… Come difendersi dalle prediche” e ”Chiesa padrona – Strapotere, monopolio e ingerenza nel cattolicesimo italiano”. É um dos autores mais lidos no blog de opinião católica Vino Nuovo.

Livros

Como lidar com o luto? Sentimentos como saudade, culpa, raiva, arrependimento e dor.

Publicado

em

Como lidar com o luto? Sentimentos como saudade, culpa, raiva, arrependimento e dor

Padre Reginaldo Manzotti fala sobre “Sentimentos ligados a morte” e como lhe dar com eles, explicando que a morte não é o fim

Quando nos deparamos com a morte de alguém que amamos, um mix de sentimentos podem vir a tona, como por exemplo, dor da perda, a tristeza, o arrependimento por não ter amado mais, pedido perdão por algo ou algum acontecimento, raiva por ter perdido alguém especial, culpa ou a dor do luto. Mas como entender, este momento que é o único que temos a certeza, que um dia acontecerá com todos? Segundo Padre Reginaldo Manzotti, “no meu coração sacerdotal, como pastor, percebo que todos nós vivemos momentos difíceis, um momento de luto, por isso, quero indicar esse vídeo a você e a quem você sente que deve enviar, como lidar com o luto”

O texto que o inspira é de Lucas 24,5 “E elas ficaram com medo, e se ajoelharam, e encostaram o rosto no chão diante dos anjos. Então os anjos disseram a elas: —Por que é que vocês estão procurando entre os mortos quem está vivo? ”. É a partir desta verdade, fundamental para nossa fé, Cristo ressuscitou, que eu chamo você a contemplação e oração.

Como lidar com o luto? Dois passos a Sagrada Escritura nos dão: 

O primeiro passo “Quando um parente morrer, chore, meu filho, como se você estivesse sentindo uma grande dor e cante canções tristes. Depois, de acordo com o costume, prepare o corpo para ser sepultado e arranje uma bela sepultura. Chore amargamente, cante em voz alta as lamentações, chore tanto quanto merece a pessoa que morreu. Chore um ou dois dias, afim de que ninguém o critique, e, depois, console-se na sua tristeza. ” Eclesiástico 38,16. 

Este é o primeiro passo, não é negar a morte, é experimentá-la, é vive-la. Chorar sim, chorar é um jeito humano de rezar. Chorar, viver o luto, mas em meio ao luto, cantar hinos e salmos, rezar a Sagrada Escritura. 

Vamos ao segundo passo:

“Console-se com a sua tristeza. A tristeza acaba com as forças da gente; às vezes, uma tristeza profunda pode até matar. Em tempos de aflição, existe sempre tristeza; uma vida de pobreza traz dor ao coração. Não deixe que a tristeza tome conta de você, mas mande-a embora e lembre-se que você também vai morrer. Não esqueça de que quem morre não volta; a tristeza que você sente não ajuda o falecido e faz mal a você. Lembre-se que seu fim será igual ao dele; ontem, foi a vez dele; hoje será a sua. Deixe descansar em paz a lembrança que você tem daquele que está descansando no sono da morte e conforme-se com a morte dele. ”  Eclesiástico 38,17-19.

Padre Reginaldo Manzotti ainda indica uma leitura que segundo ele, em momentos de luto o conforta; Um texto atribuído a Santo Agostinho: “A morte não é nada. Eu somente passei para o outro lado do Caminho. Eu sou eu, vocês são vocês. O que eu era para vocês, eu continuarei sendo. Me deem o nome que vocês sempre me deram, falem comigo como vocês sempre fizeram. Vocês continuam vivendo no mundo das criaturas, eu estou vivendo no mundo do Criador. Não utilizem um tom solene ou triste, continuem a rir daquilo que nos fazia rir juntos. Rezem, sorriam, pensem em mim, rezem por mim. Que meu nome seja pronunciado como sempre foi, sem ênfase de nenhum tipo. Sem nenhum traço de sombra ou tristeza. A vida significa tudo o que ela sempre significou, o fio não foi cortado. Porque eu estaria fora de seus pensamentos agora que estou apenas fora de suas vistas. Eu não estou longe, apenas estou do outro lado do Caminho. Você que aí ficou, siga em frente, a vida continua, linda e bela como sempre foi. Amém. ” Que Deus os conforte. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Sobre o Padre Reginaldo Manzotti

Sacerdote, escritor, músico, compositor, cantor e apresentador de rádio e TV, o padre Reginaldo Manzotti reúne todas as suas habilidades em prol da evangelização. Em 2015, foi eleito pelo portal espanhol “Aleteia” o sacerdote mais acessado e seguido nas redes sociais do mundo e foi escolhido para ser Embaixador da Pastoral da Pessoa Idosa no Brasil.

Com mais de 1 milhão e meio de cópias vendidas, Padre Manzotti já lançou 14 CD´s e 4 DVD´s e foi indicado ao Grammy Latino em 2013 pelo trabalho “Paz e Luz”, gravado na Igreja da Candelária com as participações especiais de Thiaguinho, Fernando & Soroca-ba, Thaeme & Thiago, Joanna e Cantores de Deus.

Autor de 13 , o sacerdote com uma linguagem simples e atual, apresenta uma seleção cuidadosa de evangelização e formação para você buscar e vivenciar o seu crescimento espiritual.

Sacerdote que evangeliza pelos meios de comunicação, o padre apresenta programas de rádio e televisão que são retransmitidos e exibidos em milhares de emissoras do país, além de outros países como: Inglaterra, Estados Unidos, Portugal, Espanha, Angola, Pa-raguai, Bolívia e Uruguai. Na internet, o sacerdote possui perfis no Twitter, Facebook (com mais de 6 milhões de curtidas), Instagram e o seu portal na internet, o www.padrereginaldomanzotti.org.br, que recebe mais de 1 milhão de acessos mês.

www.padrereginaldomanzotti.org.br

Facebook: facebook.com/padrereginaldomanzotti

Instagram: @padremanzotti

Youtube: www.youtube.com/PadreReginaldoManzotti

Continue Lendo

Livros

DC COMICS PARA BEBÊS

Publicado

em

Coleção apresenta o universo nerd aos bebês

 

Lançamento da Editora Ciranda Cultural, cada box da DC Comics possui seis minilivros com histórias eletrizantes de personagens como Batman, Super-Homem  e Mulher Maravilha.

Nunca é cedo demais para apresentar o universo da leitura para as crianças. Os bebês, por exemplo, gostam de que estimulam a visão, a audição e o tato. A leitura, mesmo intermediada por um adulto, auxilia a criança no desenvolvimento da imaginação e a experimentar sensações e sentimentos de forma significativa.

 

Neste recente lançamento da Editora Ciranda Cultural, cada Box DC Comics apresenta seis minilivros com capa dura, feitos em material resistente e com ilustrações lindas e vibrantes. Indicada para crianças a partir de 2 anos, a coleção ainda estimula a participação dos pais nessa fase do desenvolvimento que é fundamental para novas descobertas e aprendizagens.

 

De forma divertida e lúdica, os pequenos irão conhecer o universo dos super-heróis, e ainda obter noções do que é certo e errado. Personagens como Batman e Super-Homem, por exemplo, estão sempre prontos para ajudar quem precisa, e dão um show quando o assunto é a vitória do bem contra o mal. Adorados em todo o planeta, introduzir a criança no universo desses personagens é algo que pode ajudar no desenvolvimento do pequeno leitor como cidadão. Além das histórias cheias de aventura, cada box traz também um quebra-cabeça, capaz de incentivar a curiosidade e a coordenação motora dos jovens leitores.

 

A Coleção Box DC Comics apresenta quatro títulos: DC Super Friends – Trabalhando em equipe, Super-Homem – As histórias do homem de aço, Batman – Histórias de herói e Mulher Maravilha – Aventuras da super-heroína. Cada minilivro da coleção permite a criança manusear e a se envolver com as ilustrações, inspirando futuramente nas brincadeiras, jogos e também no desenhar.

 

Box DC Comics

Títulos: DC Super Friends – Trabalhando em equipe, Super-homem – As histórias do homem de aço, Batman – Histórias de herói e Mulher Maravilha – Aventuras da super-heroína

Preço: R$ 29,90 (cada)

Editora: Ciranda Cultural

Continue Lendo

Livros

Câncer de mama é o número 1 em taxa de mortalidade em mulheres no mundo

Publicado

em

A detecção precoce da doença ajuda a obter sucesso no tratamento e evitar o óbito

O câncer de mama é uma doença que se dá pela multiplicação de células anormais na mama, que geram o tumor. Por não apresentar sintomas em sua fase inicial, acaba dificultando a detecção precoce pelas mulheres. O Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca) estima que em 2018 a incidência de câncer de mama no Brasil será de 59 mil casos.

Para auxiliar residentes e profissionais que atuam na área da Radiologia e diagnóstico por imagem a colaborar com o diagnóstico precoce da doença, a Elsevier, em parceria com o Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR), lança o livro CBR Mama, que abrange temas essenciais para o aprendizado e para a revisão do diagnóstico mamário por imagem. A obra expõe a relação entre os diversos métodos de radiografia para que o profissional possa identificar o mais adequado para cada situação clínica.

Escrito de maneira didática, o livro conta com diversas imagens de alta qualidade de mamografias, tomossínteses, mamografias com contraste, ultrassonografias, ressonâncias magnéticas, além de outros métodos como PET-CT e medicina nuclear. “São mais de 1500 imagens demonstrando todo o leque de apresentação das doenças mamárias, nos diferentes métodos”, conta Dra. Linei Urban, uma das autoras do livro.

A obra é baseada em evidências e tem enfoque na prática, com a intenção de que os conhecimentos sejam aplicados no exercício médico diário. Os autores e editores do livro “são profissionais extremamente respeitados e que se mostraram capazes de produzir um texto com alto rigor científico e de leitura agradável”, ressalta o Dr. Manoel de Souza Rocha, presidente do CBR.

Dra. Giselle Guedes, também autora, ressalta que o livro Mama da Série CBR “representa a prova de união e generosidade de muitos amigos da imagenologia mamária”, uma vez que a obra contou com a participação de mais de 80 especialistas de diferentes áreas médicas.

Dividido em três grandes partes, Dra. Linei Urban explica que “inicialmente há dados sobre os equipamentos e técnicas utilizadas na prática diária, seguidos pela descrição das principais doenças mamárias, tanto benignas quanto malignas, terminando com uma sessão de algoritmo de investigação e diagnóstico diferencial, que é uma inovação nesse tipo livro”, fato que torna a obra completa.

O CBR tem uma série de iniciativas para capacitação dos médicos radiologistas, como a realização de congressos e cursos presenciais, assumindo o compromisso de levar formas de aperfeiçoamento aos profissionais de todas as regiões do Brasil. “A série CBR se consolidou como a melhor fonte de conhecimento radiológico no mercado editorial brasileiro, atingindo um nível no mínimo igual ao de séries norte-americanas ou europeias” conclui Dr. Manoel Rocha.

Continue Lendo
Publicidade

Facebook

Publicidade

Eventos

Próximos eventos

  1. Carioca em “Más Companhias”

    janeiro 18 @ 21:00 - 22:30
Publicidade

Destaque

Pular para a barra de ferramentas