Conecte-se com

Tecnologia

Seminário sobre Drones para Mapeamento e Topografia acontece em São Paulo

Publicado

em

Especialistas estarão reunidos para orientar os participantes sobre como trabalhar com segurança, qualidade e rentabilidade

São Paulo, abril de 2018 – Na manhã de 16 de maio o uso dos drones para e Topografia será destaque no segundo dia do que acontece na capital paulista.

Desconfiada no início, a comunidade de geotecnologias já está convencida do potencial do uso dos drones, embarcada e softwares para mapeamento, topografia e cadastro. Os sensores embarcados associados aos softwares de planejamento da missão e de pós-processamento permitem executar aerolevantamentos.

Conheça neste seminário os levantamentos reais aprovados pelos contratantes e que validam soluções que vieram para ficar. Os drones são mais uma plataforma e sensoriamento remoto que vem se juntar aos satélites e aviões.

Confira a programação completa:

8h30 às 9h
Chairman: George Longhitano – G-Drones – Fundador e diretor da G drones. Geógrafo pela FFLCH-USP, mestre em Geoprocessamento pela EP-USP, doutorando em Ciência Ambiental pelo IEE-USP, pesquisa aplicações de VANTs desde 2005. Atuou como coordenador técnico em consultorias ambientais por 10 anos e como professor universitário das disciplinas de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto por 5 anos.

9h às 9h30: Monitoramento de faixa de domínio, com o uso de solução integrada (VANT e Imagem orbital de alta resolução), para apoio aos processos de desapropriação e fiscalização requeridos para implantação das obras de infraestrutura ferroviária no Brasil
Julio Henriques Fernandes Cesar – – Gerente Geral de Desapropriação da Engenharia, Construções e Ferrovias, formado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Lavras – UFLA e Engenharia Civil pelo Instituto de Educação Superior Planalto IESPLAN, com mestrado em Irrigação e Drenagem na UFLA, pós-graduação em Gerência Executiva de Transporte, Mobilização e Logística pelo Exército Brasileiro e Câmara Interamericana de Transporte e Especialização em Engenharia Ferroviária pela USP. Exerce atuação na gestão de contratos de engenharia consultiva das apoiadoras da desapropriação na construção da ferrovia Norte-Sul em Tocantins, Goiás, Minas Gerais, São Paulo e Ferrovia de Integração Oeste Leste na Bahia e Tocantins, foi professor universitário por 12 anos, com disciplinas de engenharia direcionadas aos cursos de ciências agrárias como Agronomia, Zootecnia e Engenharia de Alimentos e Especialização em Engenharia Ferroviária pela USP. Coordena equipe técnica para suporte às atividades de monitoramento e controle da faixa de domínio das ferrovias de responsabilidade da , com mais de 3.200km, além de ter a função de analisar e gerir riscos relativos à segurança patrimonial com monitoramento e gestão das ações judiciais que visem o restabelecimento ou a consolidação dos bens imóveis adquiridos pela , através do uso de geotecnologia de imageamento como RPAS(Multirotores e asa fixa) e sensores orbitais, com processamento computacional de geração de Ortofotos e MDE para identificação de invasões e interferências e suporte à Engenharia de Projetos e Construção.

Bruno Nogueira da Costa – VALEC – Gerente da Superintendência de Desapropriação da VALEC
Engenharia, Construções e Ferrovias, formado em Engenharia Civil pela UNB e Especialização em Engenharia Ferroviária pela USP. Coordena equipe técnica para suporte às atividades de monitoramento e controle da faixa de domínio das ferrovias de responsabilidade da VALEC, com o uso de geotecnologia de imageamento como RPAS(Multirotores e asa fixa) e sensores orbitais, com processamento computacional de geração de Ortofotos e MDE para identificação de invasões e interferências e suporte à Engenharia de Projetos e Construção. Atuou com o desenvolvimento de estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental – EVTEA – das ferrovias da VALEC, com aplicação da análises AHP para definição de Corredores Preferenciais e simulação computacional para geração de alinhamentos geométricos automatizados para as ferrovias FNS(Ferrovia Norte-Sul), CFSC(Corredor Ferroviário de Santa Catarina) e FICO(Ferrovia da Integração Centro-Oeste).

9h30 às 10h: Drone como ferramenta técnica de engenharia: apresentação de resultados
Reinaldo Almeida Colares – Horus Geo – Formado em Engenharia Elétrica pela UFMG, possui experiência nos setores de Siderurgia, Energia, Óleo e Gás e desenvolvimentos de plataforma GIS. Sócio diretor da HorusGeo, empresa com atuação no mercado brasileiro e argentino que iniciou as atividades em 2013 na incubadora INOVA/UFMG. Atua no desenvolvimento de soluções e serviços para clientes dos setores de mineração, siderurgia e infraestrutura. Participante assíduo dos Webinars MundoGeo, DroneShow, Forum de Empresários e DroneShow Meetings, procura estar sempre presente nos grupos formadores de opiniões desse mercado no Brasil.

10h às 10h30 Mapeamento de alta acurácia com drones
José Marcato – UFMT – Possui graduação em Engenharia Cartográfica pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2008), mestrado e doutorado em Ciências Cartográficas pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Em 2009 recebeu os prêmios do Instituto de Engenharia, do CREA-SP de formação profissional e diploma de mérito acadêmico da Unesp. Atualmente é Professor adjunto na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) ministrando disciplinas na área de Geomática para os cursos de Graduação (Geografia, Eng. Ambiental e Eng. Civil) e Pós-Graduação (Recursos Naturais e Tecnologias Ambientais). Atua como revisor para vários periódicos de alto impacto na área de Sensoriamento Remoto e Fotogrametria: ISPRS Journal of Photogrammetry and Remote Sensing, Remote Sensing, IEEE Geoscience and Remote Sensing Letters, Measurement (London. Print), IEEE Journal of Selected Topics in Applied Earth Observations and Remote Sensing, International Journal of Image and Data Fusion, Sensors (Basel), International Journal of Remote Sensing (Online) e PE&RS Journals. Tem experiência na área de Geociências e Ciências Ambientais, atuando principalmente no seguinte tema: Geomática (Fotogrametria, Sensoriamento Remoto, Geodésia, SIG, Cartografia) aplicada aos estudos ambientais.

10h30 às 11h
Paulo Henrique Amorim – Santiago & Cintra Geotecnologias – Engenheiro Cartógrafo formado pela UNESP, mais de 10 anos de experiência em Sensoriamento Remoto e Fotogrametria, recebeu em 2008 o prêmio CREA, em 2012 recebeu o título de Cavaleiro da Ordem da Sociedade Brasileira de Cartografia, atualmente é Gerente de Soluções em Sensoriamento Remoto no Grupo Santiago & Cintra e desenvolve soluções com drones para as áreas geoespacial e agricultura.

11h às 11h30
Amilton Amorim (Unesp – Presidente Prudente) – Engenheiro Cartógrafo, formado pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP em 1988, mestre em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC (1993), doutor em Transportes pela Escola de Engenharia de São Carlos, da Universidade de São Paulo – USP (2000) e Pós-doutorado pela Universidade do Porto (2009). Professor Assistente Doutor – II, do departamento de Cartografia da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP, atuando no Curso de Graduação em Engenharia Cartográfica e no Programa de Pós Graduação em Ciências Cartográficas. Líder do Grupo de Pesquisa em Aquisição e Representação de Dados Espaciais – GARDE, sediado na FCT/UNESP. Tem experiência nas áreas de Ciências Geodésicas e Planejamento Urbano e Regional, com ênfase em Informação, Cadastro e Mapeamento, atuando principalmente nos seguintes temas: Cadastro Territorial Multifinalitário, Sistema de Informações Geográficas e Cadastro.

11h30 às 12h: Drone como ferramenta de mapeamento
Manoel Silva Neto – Droneng – Engenheiro Cartógrafo – UNESP, MBA Gestão Estratégica – USP, Professor de Fotogrametria com Drones na PUC-PR, Eleito a personalidade do ano no mercado dos drones em 2016 pelo evento DroneShow LA.

12h às 12h30
Danilo A. Rodrigues – Geosurv – Diretor técnico e fundador da empresa GeoSurv Engenharia e Geomática. Empresa provedora de serviços na área de Agrimensura e Cartografia. Engenheiro Cartógrafo formado pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP. Atuando há 13 anos no mercado de Geotecnologias.

Este seminário faz parte da DroneShow 2018, maior evento de drones da América Latina que acontece de 15 a 17 de maio em São Paulo (SP): www.droneshowla.com/programacao-droneshow-2018. O evento contará com 20 atividades, entre seminários e cursos voltados para o mercado de drones e uma feira com mais 40 expositores.

Sobre o DroneShow

A feira DroneShow é uma realização anual da MundoGEO, empresa de comunicação e promoção de eventos fundada em 1998 e atualmente líder na América Latina no setor geoespacial e de drones. Neste setor de drones, a MundoGEO tem como propósito conectar a cadeia produtiva do setor com a comunidade usuária, acadêmica e as entidades reguladoras. Desta forma, são geradas condições do mercado crescer de forma sustentável, priorizando a segurança e a qualidade dos serviços e produtos ligados a este segmento.

Tecnologia

Jovens ganham mais de R$ 5 mil fazendo lives

Publicado

em

Por

Sabrina Rigueira. Foto: Divulgação

A internet se tornou o grande negócio do século. Com a criação de diferentes plataformas, usuários de todo o mundo conseguem se conectar em tempo real e, inclusive, se tornar celebridades apenas desenvolvendo trabalhos para a big data. É o caso de Karina Guain Mendes e Silva, de 30 anos, que é atriz e cantora. Através de um aplicativo de transmissão ao vivo, o LiveMe, a artista entendeu uma nova forma de difundir seu trabalho em escala global. Fluente em inglês, começou a fazer coversde grandes artistas e apresentar ao vivo para o público, que gostou da ideia. “Eu conheci o LiveMe através de uma amiga. Ela tinha ido à China para um evento e me apresentou o aplicativo”, relata Karina.

Com o trabalho, a jovem deixou de lado os palcos e começou a investir em uma estrutura para suas lives. Em um local de sua casa, em São Paulo, Karina montou uma espécie de estúdio para promover um local mais adequado aos seus vídeos. “Eu sou atriz e cantora, então costumo cantar bastante para os meus seguidores e usar bastante do humor, mas notei que as pessoas gostam mesmo é de conversar, então passo a maior parte do tempo conversando com meus seguidores sobre os mais diversos assuntos, desde assuntos mais sérios como depressão até coisas mais banais como comida”, conta a atriz.

Outra famosa na internet, Sabrina Rigueira era modelo antes de conhecer a plataforma. Com mais de 200 mil seguidores, a paulistana já ganhou mais de R$ 25 mil mensais dedicando seus dias ao aplicativo. “Conheci o LiveMe por uma amiga que havia criado o perfil no aplicativo e estava fazendo lives, ela me contou do quão bacana estava sendo a experiência dela no app e que além de divertido é algo que me geraria dinheiro, não pensei duas vezes e baixei.”, conta a jovem. “Já ganhei de R$ 6 mil a R$ 25 mil em um mês”, diz Sabrina.

Para Ana Claudia Mendes, o LiveMe surgiu em um momento delicado de sua vida. Ela, que trabalhava em uma loja de departamentos e ganhava cerca de R$ 1200 por mês, viu na internet a oportunidade para seguir se sustentar. “Eu moro sozinha, então imagine. Fiquei desempregada de uma hora para outra e precisei me virar. Comecei a fazer lives e ganho cerca de R$ 3 mil. Hoje consigo sustentar minha casa e meus gastos”.

Viagens

Através do aplicativo, Sabrina, Karina e Ana também ganharam alguns prêmios. Sabrina, por exemplo, ganhou viagens e até um iPhone ao dedicar seu tempo ao App. Já Karina, além de fazer do sistema sua principal fonte de renda, viajou à California à convite do LiveMe para participar do Coachella Music Valley, um dos principais eventos de música de todo o mundo. “Foi uma experiência única. Que empresa leva você para curtir um dos maiores festivais do planeta?”. Nos EUA, conferiu shows inesquecíveis como a nova turnê da cantora Ariana Grande.

Ana Claudia, que nunca havia saído do Brasil, foi ainda para mais longe. A influencer foi à Taiwan para participar de uma das maiores festas do LiveMe no país, e conheceu os maiores transmissores de lá. “Foi uma experiência única. Imagina para mim, que nunca tinha viajado para fora do Brasil, ir à Taiwan e chegar como uma celebridade? Foi uma experiência muito gratificante”.

Com proposta inovadora no segmento de lives, o LiveMe conta com mais de 100 milhões de usuários no mundo e está presente em mais de 85 países. Por este motivo, Karina conta que se relaciona com pessoas do mundo inteiro. “Ter inglês fluente é um diferencial, mas conheço muitos transmissores que não falavam muito bem o idioma e usaram o app para melhorar sua conversa e dicção”.

Sobre o LiveMe

Disponível para download em dispositivos Android e iOS, o LiveMe é um dos apps mais importantes de mídia social nos Estados Unidos, China e Taiwan. Criado em 2016, o aplicativo conta com mais de 150 milhões de downloads no mundo e gera cerca de 190 mil minutos de conteúdo ao vivo todos os dias.

Continue Lendo

Tecnologia

Fidi reduz 15% dos custos com armazenamento de exames na nuvem da Amazon

Publicado

em

A instituição, que realiza 5 milhões de exames de imagem por ano, também ganhou eficiência e rapidez

Com o objetivo de armazenar imagens de exames de seus pacientes de maneira segura, a Fundação Instituto de Pesquisa e Estudo de Diagnóstico por Imagem (FIDI) – responsável por gerir sistemas de diagnóstico por imagem na rede pública de saúde – é hoje um cliente no Brasil de grande demanda de serviços em nuvem da Amazon Web Services (AWS), uma empresa da Amazon.com (NASDAQ: AMZN), utilizando um espaço de 600 terabytes para o armazenamento de exames de imagem e laudos. A instituição realiza cinco milhões de exames de imagem por ano – ressonância magnética, tomografia computadorizada, ultrassonografia, mamografia, raios-X, hemodinâmica e densitometria óssea.

Ao utilizar os serviços e infraestrutura em nuvem da AWS, a FIDI melhorou a gestão das informações e a velocidade de recuperação das imagens, além de ter diminuído suas despesas operacionais. “Reduzimos os custos de armazenamento em 15%, evitando renovação do parque e incremento de disco por meio do uso da Amazon S3. Além disso, notamos um aumento no desempenho de 10% em relação a antiga arquitetura, usando o Amazon S3 e a AWS Direct Connect”, relata Hélio Ajzen, superintendente de Infraestrutura da FIDI.

O uso de serviços em nuvem AWS permite crescimento do negócio da Fundação. “A FIDI escolheu a Amazon Web Services por ser referência global de provedor em serviços de nuvem no mundo, por fornecer os melhores recursos para nossas necessidades específicas e pelo apoio da sua equipe de web services”, ressalta Hélio.

A escalabilidade e proteção dos dados aliado à redução de custos foi um dos grandes desafios da FIDI, que conta anualmente com uma média de atendimento de cinco milhões de exames. “Uma das principais adversidades desse trabalho era a necessidade de armazenamento seguro em larga escala maximizando os recursos. Armazenar o histórico dos pacientes de forma segura, permanente e escalável era um desafio, pois a FIDI dependia de uma solução baseada em disco de envelhecimento”, conta o superintendente.

Atualmente, a FIDI utiliza o Amazon Elastic Compute Cloud (Amazon EC2) para hospedar sua plataforma web de acesso as imagens e laudos para os pacientes; o serviço Amazon Simple Storage Service (Amazon S3) para armazenamento de mais de 600 terabytes de dados e imagens e a AWS Direct Connect para conexão segura, dedicada entre o seu principal centro de dados e o AWS Cloud.

Continue Lendo

Tecnologia

Como os algoritmos do Google impactam seus negócios

Publicado

em

Métricas funcionam para que o usuário tenha a melhor experiência enquanto navega na internet

Jundiaí, maio de 2019 – O Google é um dos principais sites de busca do mundo; se tornou sinônimo de enciclopédia e dicionário, daqueles que as pessoas utilizavam nas pesquisas em bibliotecas. Para que os termos buscados sejam encontrados, a plataforma utiliza de algoritmos em programas de computador, que procuram por sites que respondam com efetividade as regras criadas em seu mecanismo de busca, para assim poder classificar quais deles “merecem” estar na primeira página e nas primeiras posições.

Para o Gestor e Diretor Técnico da Blob Web, Rívero Felipe Lopes, ninguém sabe exatamente como os algoritmos do Google funcionam. “A empresa guarda esta informação a sete chaves, mas sabemos que hoje ela foca na experiência do usuário em multiplataformas. O Google determina uma série de parâmetros que devem ser seguidos para alcançar os melhores resultados, que são metrificados por meio de um check list, garantindo que o conteúdo entregue aos usuários seja confiável e de qualidade”.

Constantemente há atualizações internas para que as pessoas encontrem o que pesquisam de forma mais rápida e efetiva. “Na última atualização o Google valorizou sites mais rápidos, flexíveis e com certificado SSL, o famoso cadeado verde perto da barra de endereço; essas modificações normalmente não têm muita periodicidade, às vezes há várias atualizações em um mês e, no outro, nenhuma; por isso é preciso estar sempre atento às alterações e acompanhar constantemente as mudanças”.

Como esses algoritmos impactam os sites?

De acordo com Rívero, eles são determinantes para o bom posicionamento do link. “Não seguir à risca as determinações feitas pelos mecanismos de busca faz com que os algoritmos não entreguem o site na hora da pesquisa. Ele prioriza as entregas de páginas mais leves e isso faz com que as pessoas consumam menos ‘dados de internet’; assim perdem menos tempo esperando e passam um maior período conectadas consumido mais conteúdo”.

Com as mudanças e as atualizações feitas pelas empresas, o ranqueamento delas muda. “Os links que aparecem nas primeiras colocações são sempre os que mais atendem às métricas, entregam o melhor conteúdo e se preocupam em oferecer uma melhor experiência para o usuário. Enquanto os sites com uma programação pesada, URLS confusas, baixo conteúdo e não responsivos não garantem um bom posicionamento”, concluiu.

Por isso, Rívero alerta sobre a importância de os responsáveis pelos sites estarem sempre atentos aos serviços. “O importante é constantemente focar no em quem irá consumir o material final; pensar como as informações da sua empresa chegam ao usuário final, a qualidade, o tempo dos carregamentos das páginas, o caminho até o contato com a sua marca e com o conteúdo entregue. Mas não adianta focar 100% no Google, o importante mesmo é seu consumidor/usuário e se a experiência dele dentro do seu site está alinhada ao que ele espera da sua marca”.

Continue Lendo
Publicidade

Facebook

Publicidade

Eventos

Próximos eventos

  1. SILVA Canta Marisa em Jacareí (SP)

    julho 21 @ 19:00 - 21:00
  2. Vale Music Fest 2019

    setembro 13 @ 20:00 - setembro 21 @ 23:30
  3. DJAVAN VESÚVIO EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS (SP)

    outubro 11 @ 21:00 - 23:30
Publicidade

Destaque

Pular para a barra de ferramentas